Entenda as diferenças nos sintomas da covid-19 de sua variante delta

Variante delta: Características que a diferenciam da gripe

A variante Delta (B.1.617.2) do coronavírus SARS-CoV-2 foi detectada pela primeira vez na Índia e já foi disseminada no mundo todo, inclusive no Brasil. Por onde passou, gerou mudanças no perfil da COVID-19.

Por ter sintomas comuns a gripe, surge a maior dúvida de todas: é gripe comum ou Covid? Para entender um pouco mais sobre esse assunto, continue lendo!

Variante Delta do Covid-19

Desde que surgiu, a COVID-19 sofreu uma série de mutações. Afinal, sempre que um vírus faz suas cópias nas células humanas, é possível que erros no código genético proporcionem alterações, as chamadas variantes.

As novas variantes do coronavírus têm gerado grandes preocupações e dúvidas sobre o impacto na pandemia. A variante Delta é a mais recente, responsável por aumentar o número de casos no Reino Unido e nos Estados Unidos.

No momento atual, a cepa que predomina entre os brasileiros é a Gama (P.1), detectada pela primeira vez em Manaus. Porém, segundo alguns levantamentos nacionais, a variante Delta cresce cada vez mais.

No mês de junho, o número de casos era de 2,3%, no mês seguinte já aumentou para 21,5%. Em setembro, a variante Delta chegou a corresponder a mais de 70% dos casos de Covid-19 na cidade de São Paulo.

Enquanto no Rio de Janeiro, essa variante já é a responsável por mais de 80% dos casos de covid-19.

Com a imunização ainda em andamento, os sintomas da doença podem ser mais comedidos com quem tomou a segunda dose da vacina. O que a torna ainda mais parecida com uma doença respiratória aguda, por isso fazer o teste RT-PCR continua sendo essencial.

Como diferenciar os sintomas da Covid-19 dos de uma síndrome respiratória?

A variante Delta está mais associada aos sintomas de uma gripe comum, como:

  • Febre;
  • Espirro;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de garganta;
  • Coriza (nariz escorrendo).

Dessa forma, a nova variante tende a gerar muitas confusões entre as pessoas que não sabem se é gripe, resfriado, alergia ou covid. Em principal aqueles que moram nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, onde o número de casos confirmados é maior.

A rinite alérgica e sinusite aguda são doenças do trato respiratório superior, que causam mais dor facial, dor de cabeça e coriza no início. Mas, com o passar dos dias, a secreção torna-se mais espessa e amarelada ou esbranquiçada.

Já a Covid-19 apresenta fortes dores no corpo todo e, em alguns casos, também pode apresentar sintomas gastrointestinais. Esse não é um sintoma que está presente na rinite ou sinusite, mas sim na gripe.

Na maioria das vezes, a gripe ou resfriado tende a concentrar-se mais nas vias aéreas superiores, causando dor de garganta e coriza. Enquanto a variante Delta pode apresentar um quadro muito parecido com o da rinite. 

A doença apresenta mais espirros em sequência, de modo geral é um quadro mais alérgico ao invés de infeccioso, com mal estar, febre e dor no corpo. A gripe, influenza e, outra síndrome gripal começam iguais a essa variante. 

Ou seja, um quadro de espirros em sequência, coriza e dor facial. Além dessas, há outras doenças menos comuns, como o sarampo, que também podem iniciar deste jeito.

Do ponto de vista clínico, especialistas afirmam que no momento é difícil evitar uma infecção pelo Sars-CoV-2. Caso alguém apresente alguns dos sintomas acima, o ideal é realizar o teste do PCR-RT, no 3º dia, para diagnosticar a presença do Covid ou não.

Sintomas da mutação Delta Sars-CoV-2

os sintomas são mais parecidos com os de uma gripe 'normal'

De acordo com médicos de São Paulo e Rio de Janeiro, dentre os pacientes que testam positivo para Covid, os sintomas mais comuns são:

  • Dor de cabeça;
  • Coriza;
  • Dor de garganta.

A perda do paladar e de olfato, falta de ar e tosse não são tão comuns nos primeiros dias da infecção. Vale notar que a queda na saturação de oxigênio, dificuldades para respirar e quadros de trombose ainda são comuns.

É essencial não confundir esses sintomas mais brandos no início com o maior comprometimento da doença. A doença ainda é potencialmente arriscada para pacientes infectados.

Maior risco de contaminação

Pessoas infectadas com a Delta, não apresentam tanta tosse, falta de ar ou perda de paladar e olfato, sintomas mais associados com a cepa original. É aí que muitos confundem o quadro com uma gripe ou resfriado.

Com isso, muitos não fazem o teste e nem procuram um atendimento médico, o que aumenta as chances de espalhar o vírus para outras pessoas, sem saber. Outro problema é o tempo seco, que resseca as vias aéreas e aumenta os casos de infecções e irritações no trato respiratório.

Se os sintomas não passarem em dois dias, o que já descartaria uma rinite, é crucial fazer o teste RT-PCR para saber se está com covid. E o ideal é evitar ter contato com outras pessoas para não espalhar o vírus.

Também cabe lembrar de continuar tomando as medidas preventivas, usar máscara, higienizar as mãos e manter o distanciamento físico. E, claro, tomar a vacina, elas são capazes de diminuir a força dessa nova variante.

Conclusão

Como você pôde ver, a variante Delta apresenta os mesmos sintomas de uma gripe comum ou até mesmo de rinite. Por isso, muitos se confundem e contribuem para a propagação do vírus.

Para evitar o contágio com essa e outras variantes, continua sendo importante tomar todas as medidas preventivas e realizar o teste. E não esqueça de compartilhar esse conteúdo com outras pessoas, para elas ficarem mais atentas!

 

Gostou? Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin
Share on telegram